"A vida não é medida pelo número de vezes que se respira, mas pelos momentos em que se perde o fôlego."

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

Posts

Domingo, 19 de Agosto de 2012

Tumblr_m90xscse5j1rsqt7ao1_500_large

Hoje entregaram-me a carta de não renovação de contrato.

Por estranho que pareça passa-me ao lado. Como me disseram vários alguéns "trabalhar sim, ser explorada não".

E assim estou, a passar os dias a conta gotas em pulgas pelo fim do mês.

publicado por mac às 23:16

Sábado, 11 de Agosto de 2012

4990831_460s_large

Percebo realmente a dimensão do não ter tempo para nada em que a minha vida se tornou, desde que comecei naquele desgraçado trabalho que me está a matar: 

  - quando perco o segundo almoço de família consecutivo;

  - quando deixo de sair com os amigos;

  - quando deixo de distingir semana de fim semana porque trabalho em ambos e a 3a feira se torna o meu fim de semana; 

  - quando tenho o mesmo livro na mesinha de cabeceira à uns meses;

  - quando as minhas olheiras se notam à distância;

  - quando olho constantemente para o relógio a pensar que amanhã tenho de acordar cedo para ir trabalhar;

  - quando me deito com a sensação no corpo de ter sido atropelada por um camião.  

E um dia com mais horas não?

 

publicado por mac às 22:44

Quarta-feira, 01 de Agosto de 2012

251876_325866664170185_697217434_n_large

Se os olhares matassem creio que hoje tinha sido fulminada.

Entra um casal e reconheço o rapaz. Foi meu colega de secundário. Mal me vê começa a falar entusiasmado da última vez que me viu, à um ano, que se recorda-se perfeitamente de todos os detalhes e faz questão de os contar a fim de me lembrar a mim que já esqueci. No meio do seu discurso pergunta-me se costumo sair para logo de seguida responder ele mesmo um "tu não sais". Respondo que costumo sair mas ele continua veemente que "tu nunca foste de sair" e proporcionalmente ao entusiasmo dele que deita palavras cá para fora em catadupa está a namorada a olhar para mim com um ar de "larguem-me que eu vou-me a ela e arranco-lhe um olho".

E eu assim fico, meio incomodada entre aqueles dois até que ela decide ir embora e ele vendo-a ir segue-a.

Conheço-o da escola de à vários anos, faz-se aquela conversa de circunstância e não nos devemos reencontrar durante os próximos séculos, não percebo o porque da ferocidade com que sou olhada de alto a baixo.

Já é a segunda vez que uma cena assim me acontece, raios.

 

publicado por mac às 21:23

Domingo, 22 de Julho de 2012

217381_large

Percebe-se que se odeia mesmo o nosso local de trabalho quando nos obrigam a trabalhar duas semanas seguidas sem folgas e ainda nos espetam turnos de doze horas, sabendo que não nos dão nem mais um cêntimo por isso.

Eu não sou médica, eu trabalho numa LOJA só tenho direito a uma folga semanal que não pode nunca ser a um sábado/domingo e recebo o ordenado mínimo.  

F%$#-$%!

publicado por mac às 23:14

Sábado, 14 de Julho de 2012

546260_191914554253994_691941675_n_large

Entra-me por ali dentro de mão dada com a mãe procurando desesperadamente por algo que lhe sirva perante o ar alheio da mãe que dá atenção à outra filha. 

Sorrio-lhe e atendo aquelas três. Quando dei por mim já tinha aquela pequena de palmo e meio ao colo, já me tinha perguntado o nome, já me tinha andado a fazer correr pela loja atrás dela, já tinha dado sonoras gargalhadas e já me tinha dado uns quantos abraços intervalados a beijos repenicados nas bochechas.

Nunca me tinha visto e no entanto agiu como se me conhecesse desde sempre.

Quase não passa um dia em que uma criança ali entre que não me venha parar às brincadeiras enquando atendo os pais.

Para as crianças, não interessa de onde vimos ou para onde vamos, elas abrir-nos-ão sempre o coração e o sorriso com uma sinceridade que vale por todas as outras.

 

 

publicado por mac às 22:53